segunda-feira, 31 de agosto de 2015

(Por sua politica conservadora?) Vaticano suspende poderes de Dom Aldo

O Arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, que está passando por um processo de investigação, teve poderes suspensos pelo Vaticano. De acordo com matéria no Jornal da Paraíba, deste domingo (30), o religioso está proibido de ordenar padres e diáconos e de receber novos seminaristas até a apuração das acusações contra ele.

No entanto, Dom Aldo Ainda pode celebrar missa e casamento, mas não pode ordenar padres e diáconos. Mesmo com as limitações, ele continua à frente da Arquidiocese da Paraíba,  onde chegou no ano de 2004. Ainda de acordo coma a matéria, Dom Aldo disse em sua defesa que as acusações são ‘denúncias infundadas’.

A Arquidiocese da Paraíba também rebate a informação e diz que isso não existe. Contudo, revela que não há previsão de nova ordenação. A decisão de ordenar presbíteros e diáconos é exclusiva do bispo.

Segundo os regulamentos da Igreja Católica. Em outras palavras: é o bispo quem decide quando deve ordenar novos padres e diáconos, quando achar que eles estão prontos para isso, sem ter que se alongar nas explicações. A arquidiocese pede provas em relação às denúncias.

Fonte: MaisPB

Embrapa promete lançar primeiro feijão transgênico do mundo em 2016; técnico critica

O feijão, que teve comercialização autorizada em 2011, é suscetível a uma praga não identificada nos estudos iniciais; isso mostra que as pesquisas para liberação dessas sementes são insuficientes. A Embrapa pretende continuar investindo na pesquisa de novos tipos de feijão geneticamente modificado.

São Paulo – A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, deverá lançar em 2016 o primeiro feijão geneticamente modificado do mundo.

O primeiro também totalmente desenvolvido por uma empresa pública. A promessa é de uma planta capaz de resistir ao vírus do mosaico dourado, transmitido pela mosca branca. A liberação comercial já tinha sido aprovada pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) em setembro de 2011.

De acordo com a empresa, durante o desenvolvimento do feijão foi identificado o ataque de um outro vírus, o Carlavírus, que afeta também o feijão convencional. Sua incidência era ofuscada pelo vírus do mosaico dourado, que é muito mais agressivo. E que para garantir a qualidade da produção, foram feitos novos testes, inclusive de práticas de manejo, capazes de reduzir os danos causados pela nova virose.

Para o dirigente da Associação Brasileira de Agroecologia, o agrônomo Leonardo Melgarejo, a descoberta do ataque de um novo vírus ao feijão transgênico demonstra a insuficiência das pesquisas realizadas para liberação dos organismos geneticamente modificados.

“Se a posteriori o feijão veio a ser afetado por uma nova praga, invalidando a vantagem conseguida contra o primeiro vírus, significa que foi pouco estudado a priori, quando teve liberação para comercialização pela CTNBio. Se essa suscetibilidade não era conhecida, é porque os estudos foram insuficientes”, diz Melgarejo.

De acordo com ele, a Embrapa falava em milhões de toneladas a mais pela perspectiva de zerar a perda com base nas experiências. "Porém, no campo, o feijão depara com outras condições além daquelas em que foram testadas." A Embrapa defende-se. Segundo norma técnica distribuída pela assessoria de comunicação, a CTNBio aprovou a liberação comercial do feijão transgênico resistente ao mosaico dourado em setembro de 2011, antes da conclusão do seu desenvolvimento.

Com a liberação, segundo a empresa, foi possível avançar no desenvolvimento, finalizado neste ano, com ensaios de valor de cultivo e uso. Exigidos pelo Ministério da Agricultura, esses testes são essenciais para o conhecimento e seleção do material genético. Um pedido de proteção e registro do feijão está sendo analisado pelo Serviço de Registro Nacional de Cultivares do Mapa. Os critérios de avaliação e validação para uso comercial são os mesmos das sementes convencionais.

A empresa ressaltou que há diferenças entre os processos de pesquisa envolvendo transgênicos de empresas privadas e públicas. Ao contrário das privadas, que avançam nas pesquisas em campo mesmo antes da aprovação, as empresas públicas, que contam com recursos públicos, só desenvolvem os grãos quando há liberação comercial pela CTNBio.

Na segunda-feira (24), o senador Álvaro Dias (PSDB-PR) protocolou ofício no gabinete da ministra da Agricultura Katia Abreu requerendo informações sobre o atraso no lançamento do feijão. Na carta, de cinco páginas, o senador tucano requer os “reais motivos que impediram, até o momento, que uma tecnologia genuinamente brasileira fosse disponibilizada para milhares de agricultores de todo o Brasil, muitos do Paraná, maior produtor do país”.

O tucano afirma que “a introdução do feijoeiro geneticamente modificado, cultura largamente praticada por pequenos agricultores, desde o seu trâmite na CTNBio, sofre fortes ataques de grupos com orientação ideológica contrária ao uso de transgênicos. 

Especialmente pelo fato de se tratar de uma biotecnologia nacional destinada a pequenos agricultores, o que fragiliza o argumento de ser a biotecnologia moderna um produto de multinacionais direcionado aos grandes agricultores”. Soja transgênica:

Esta semana, a Embrapa lançou uma variedade de soja transgênica desenvolvida com tecnologia totalmente nacional. A variedade Cultivance, resistente a um grupo de herbicidas, é uma parceria com a Basf. O agrônomo Leonardo Melgarejo avalia como positiva a volta da Embrapa à liderança na produção de sementes.

Entretanto, critica a opção por organismos geneticamente modificados. "Pode liderar com sementes amigáveis ao meio ambiente, adaptadas às mudanças no clima nesse período, que ocorreram rapidamente. E mais produtivas, o que se consegue com manejo, e não combate químico a esta ou aquela erva daninha."

Outra crítica é quanto à promessa de a semente poder ser cultivada em todo o país. "É como se admitir que todo o país tem o mesmo clima. Por isso, não é possível plantar macieira na Amazônia e cupuaçu no Rio Grande do Sul. Uma variedade que dá em São Paulo não dá em todos os cantos do país. Uma soja boa para o Sul não é boa para o Centro-Oeste."

Fonte: asaparaiba 

domingo, 30 de agosto de 2015

Comer bem pode elevar até quatro vezes o valor da compra no mercado


Apesar do alto preço, campo-grandense tem comprado mais orgânicos (Fotos: Kleber Gellio) Mesmo sem dados estatísticos, Shirleyde sente que a concorrência do mercado de produtos orgânicos aumentou em 3 anos (Foto: Cleber Gellio).

Campo Grande está no hall das capitais com o maior número de obesos do Brasil, porém, em contrapartida, a demanda de alimentos orgânicos aumentou. 

Isso indica que os campo-grandenses estão mais preocupados com a saúde. Mas será que manter uma alimentação saudável é acessível ao bolso de qualquer cidadão?

Para se ter ideia, o preço de um saco de 2 quilos de açúcar refinado, por exemplo, não passa de R$ 3, enquanto o valor de 1 quilo do orgânico custa quase R$ 5. 

De acordo com o gerente de agronegócio do Sebrae, Marcos Rodrigo de Faria, comer bem pode elevar em até quatro vezes o valor da compra no supermercado.

No que se refere aos produtos orgânicos, mas que não deixam de ser industrializadas, a nutricionista e proprietária das franquias Mundo Verde, em Campo Grande, Shirleyde Guimarães, afirma que a diferença no custo é porque o produto ainda não tem demanda alta.

“Tudo o que se populariza, barateia o custo, se ganha na quantidade, e em Campo Grande ainda não há volume de consumidor para isso”, pontua Shirleyde. 

Em Campo Grande não há dados estatísticos que mostrem quantas lojas especializadas em produtos orgânicos existem, mas, de acordo com a proprietária do Mundo Verde, o mercado expandiu de 2010 para cá, e isso ela sentiu pela concorrência, que hoje é maior.

 Shirleyde afirma que o crescimento não foi apenas em relação ao número de lojas, pois hoje em dia produtos naturais também são encontrados com mais facilidade nas prateleiras de supermercados.

A justificativa para o custo alto é simples: não há produção o suficiente em Mato Grosso do Sul para atender a demanda de supermercados e até mesmo de restaurantes da região, por isso, a maioria dos produtos orgânicos comercializados em Campo Grande são importados de outros estados do Brasil, o que encarece o produto para o consumidor final.

Ainda de acordo com o gerente de agronegócio, a procura por produtos orgânicos nos supermercados da Capital é grande, mas os produtores não conseguem, ainda, suprir a exigência.

“É necessário volume, padrão e frequência, sem cumprir esses três itens, não há como o produtor atender ao mercado, por isso os produtos ainda vêm de fora do Estado”, explica marcos.

Além dos supermercados, os produtos in natura podem ser encontrados na feira orgânica realizada aos sábado, na Praça do Rádio Clube, em Campo Grande. 

Mais saudável – A diferença dos produtos orgânicos está na quantidade de nutrientes que eles trazem e ausência de agrotóxico, conforme explica a nutricionista Paula Saldanha.

“Os produtos orgânicos devem fazer parte da rotina de qualquer um, e o campo-grandense agora que está despertando o interesse por este tipo de alimentação, com mais fibra de boa qualidade, sem glúten”, analisa Paula.

E isso também é um dos fatores que encarece os produtos orgânicos, pois o manejo é muito mais trabalhoso. “O veneneiro joga o produto e vai embora, enquanto o orgânico o produtor preciso cuidar de perto.

Exige dele mais cuidado e mão de obra, além de ser uma técnica nova, todos esses fatores eleva o custo do produto orgânico”, explica o gerente de agronegócio do SEBRAE.

Fonte: http://www.campograndenews.com.br

sábado, 29 de agosto de 2015

Lucélio ressalta parceria PT/PSB: “Tem tudo para continuar

À frente da Companhia Docas da Paraíba desde que o governador Ricardo Coutinho assumiu o Governo do Estado em janeiro de 2015, o presidente do PT de João Pessoa, Lucélio Cartaxo (PT), voltou a ressaltar a parceria com o PSB e a depositar suas fichas na extensão da aliança entre as duas legendas também para o pleito do ano que vem.

Para Lucélio, uma aliança feita com um intuito momentâneo não acrescentaria em nada para a população, que já mostrou que aprovou a parceria PT/PSB e é a principal interessada nos avanços proporcionados pela união de forças.

“Nós estamos nessa perspectiva da manutenção da aliança, porque eu acredito que em política aquela aliança que você faz com um intuito momentâneo não acrescenta muita coisa para população, e aquela aliança firmada em 2014 foi uma aliança vitoriosa”.

A gente entendeu que naquele momento de muita dificuldade fizemos o apoio ao PSB, tanto foi bom para o PT, pois tivemos uma votação expressiva, quanto foi boa para o governador, pois ele venceu e mais do que isso, a população avaliou todo esse processo e aprovou”, ressaltou.

Lucélio lembrou que tanto o governador Ricardo Coutinho (PSB), quanto o prefeito de João Pessoa tem trabalhado muito, com entrega de obras, pagamento de salário em dia, equilibro fiscal, com uma parceria que é boa para João Pessoa como é boa para o Estado. A gente poderia ter feito uma aliança que a população disse que não concordaria

“Por isso, e muito mais que conseguimos alcançar, acho que a aliança tem tudo para continuar” destacou. 2015; O foco para o restante desse segundo semestre, conforme Lucélio é o trabalho e não discussão de eleição, conforme Lucélio.

O foco para o restante desse segundo semestre, conforme Lucélio, é o trabalho e não discussão de eleição, conforme Lucélio. “Esse ano o foco é administrativo, eu acho que a população quer ver os resultados”.

No ano que vem a gente vai pautar eleição, nesse momento, tanto estou focado em trabalhar pelo desenvolvimento do Porto de Cabedelo, quanto o prefeito Cartaxo está focado em trabalhar na gestao municipal. 2016 vamos tratar apenas em 2016”, finalizou. (PB Agora)

Fonte: http://www.pbagora.com.br/

Dirigentes do PT/PB afirmam que partido se organiza para ampliar bancada em 2016

Por, Dani Rabelo, Em João Pessoa, partido realizou a penúltima “Reunião Regional”.

Militantes petistas das cidades que compõem a Grande João Pessoa estiveram presentes na manhã deste sábado, 29, na Assembleia Legislativa para a penúltima “Reunião Regional” realizada pelo Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores da Paraíba.

Assim como nos encontros que aconteceram nas outras regiões do estado, em que foram abordados temas como as Eleições 2016 e a política adotada pelo Governo Dilma, também foi feita uma avaliação geral da atividade.

Para o presidente do PT/PB, Charliton Machado, foi muito importante a realização dessas reuniões regionais, pois foi possível “aprofundar uma leitura regional nos diversos municípios, mostrando um mapa de atuação política e de organização partidária”:

“No final vamos apresentar um diagnóstico fazendo neste momento um grande debate sobre a orientação política que o PT deve ter nas eleições de 2016. Serviu também para mobilizar os municípios em torno na agenda atual, que é a defesa do estado democrático de direito, a defesa do nosso governo e do PT”.

Após a última “Reunião Regional”, que acontece neste domingo, 30, na cidade de Mamanguape, o Diretório do PT/PB será convocado para uma avaliação das caravanas e o encaminhamento das orientações políticas sobre as eleições do próximo ano.

“Essas reuniões acontecem novamente a partir de janeiro de 2016 nas mesmas cidades, e posteriormente também iremos dialogar com os presidentes dos diretórios municipais e seus tesoureiros”, concluiu Charliton Machado.

Compondo a mesa da “Reunião Regional” de João Pessoa, o presidente do PT/JP, Lucélio Cartaxo citou algumas obras já concluídas, e outras que estão sendo encaminhadas pela gestão do prefeito Luciano Cartaxo, além de fazer uma breve análise da situação política atual:

“O prefeito está focado no trabalho, e o caminho é sempre o trabalho e o diálogo. Nacionalmente sabemos como está sendo difícil, mas o corpo a corpo é o melhor caminho para a superação da crise, e percebemos que a presidente Dilma já está fazendo isso”.

Sobre a situação política atual e o próximo pleito, Jackson Macedo, secretário de Organização do Partido dos Trabalhadores na Paraíba e secretário do Orçamento Participativo da Prefeitura de João Pessoa, ressaltou que esse é “um ano de organização partidária”.

“O PT se diferencia dos outros partidos pela sua organização interna. Na Paraíba somos cerca de 100 diretórios e 60 comissões provisórias, e todos estão habilitados para as eleições do próximo ano. Atualmente temos seis prefeitos, dez vice-prefeitos e 112 vereadores, e o nosso objetivo é reeleger esses companheiros e ampliar a nossa bancada”, afirmou.

Fonte: Imagística Comunicação e Assessoria

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

RC confirma presença em reunião de ultima hora convocada por Dilma

A presidente Dilma Rousseff (PT) convocou os governadores do Nordeste para reunião nesta sexta-feira (28), no Ceará. Coube ao aliado, gestor daquele estado, Camilo Santana (PT), fazer a convocação de urgência. O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, PSB, já confirmou presença.

A petista estará no Ceará para entregar 480 apartamentos do programa federal Minha Casa, Minha Vida. Essa semana o jornal O Globo destacou a insatisfação do gestor paraibano com o não cumprimento do repasse de verbas por parte do governo federal para a execução de obras conveniadas.

Segundo o jornal, Ricardo, que apoiou a reeleição de Dilma, contrariando o PSB, afirmou que a “quebra de posição” por parte de Dilma não contribui para o ambiente político: “Fiquei surpreso com a quebra de posição, que não contribui para as boas relações. Se não se cumpre aquilo que se acerta, a estabilidade política fica claudicando”, disse Coutinho.

O Tesouro Nacional solicitou à Comissão de Financiamentos Externos (Cofiex), vinculada ao Ministério do Planejamento, que retire de pauta a análise de todos os pedidos de empréstimos feitos pelos governos estaduais e municipais. O Palácio do Planalto não entrou em contato com os governadores afetados para dar explicações nem tentar minimizar a insatisfação.

A Paraíba pleiteia financiamento para a construção de estradas, no valor US$ 250 milhões — cerca de R$ 860 milhões — junto à Corporação Andina de Fomento. “Na essência, não estamos pedindo um centavo para o governo federal. Temos direito porque o estado está equilibrado, está nas margens de endividamento”, disse o governador. Minha Casa, Minha Vida:

A presidente Dilma Rousseff estará em Caucaia, no Ceará, para entregar 480 apartamentos do residencial Jose Lino da Silveira VI. O investimento é de R$ 33,1 milhões. Estima-se que 2 mil pessoas sejam beneficiadas com as moradias.

Com solenidades simultâneas, outras três cidades também terão entregas de casas próprias. Em Bom Conselho, em Pernambuco, são 141 imóveis. O investimento foi de R$ 4,03 milhões em moradias localizadas na zona rural. ´

Em Castanhal, no Pará, serão entregues 1.000 casas dos residenciais, num valor de R$ 59,6 milhões. Já em Colinas do Tocantins, em Tocantins, o Programa Minha Casa Minha Vida construiu 400 casas. Os investimentos somam R$ 23,2 milhões. (Redação)

Fonte: http://www.pbagora.com.br/

Janot fará novo inquérito contra Cunha

Após sabatina que o reconduziu ao comando do Ministério Público, o procurador-geral Rodrigo Janot deve ampliar as investigações da Lava Jato e já prepara novo inquérito contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB).

Cunha já foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal (STF) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O peemedebista foi acusado de receber propina a partir de contratos de aluguel de navios-sonda firmados entre a Petrobras e a empresa Samsung Heavy Industries.

O dinheiro teria sido passado pelo operador Fernando Baiano, preso em Curitiba. Na ação, Janot pediu a devolução de US$ 80 milhões aos cofres públicos. Novas denúncias contra outros políticos estão previstas para ocorrer em um mês, segundo reportagem de Vinicius Sassine.

Fonte: Brasil 247

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Luiz Couto defende PEC dos Catadores

O deputado federal Luiz Couto (PT-PB) participou de uma reunião da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados na manhã desta quarta-feira, 26, para discutir a Proposta de Emenda à Constituição (PEC).

309/2013, de autoria do deputado Padre João (PT-MG) e da deputada Érika Kokay (PT-DF), que dispõe sobre a contribuição para a seguridade social do catador de material reciclável que exerça suas atividades em regime de economia familiar.

Os representantes da Comissão de Direitos Humanos e Minorias estiveram em diligência no dia 22 de junho último no Lixão da Estrutural, no Distrito Federal, considerado o maior “lixão” da América Latina.

Os deputados Paulo Pimenta (PT-RS) e Érika Kokay (PT-DF) apuraram que há no local uma média de quatro mortes por ano, sendo que, em 2015 duas pessoas já haviam falecido trabalhando no local.

“Além de ser muito insalubre, é um trabalho extremamente perigoso”, constatou Érika Kokay. Por isso, o texto permite que os catadores requeiram a aposentadoria cinco anos antes da regra geral da Previdência Social. Com isso, homens poderão requerer o benefício aos 60 anos de idade e mulheres aos 55.

A proposta foi aprovada na comissão especial criada na Câmara para avaliar o tema há 10 dias do encerramento da legislatura passada e depois foi arquivada. A intenção dos parlamentares que defendem a mudança é apresentar um pedido para que ela seja votada no Plenário ainda este ano: "Se esquecerem a PEC será um grande pecado", disse Luiz Couto.

A Política Nacional de Resíduos Sólidos determinou o fim dos lixões até 2014. O prazo não foi cumprido porque não foram instaladas a coleta seletiva, unidades de reciclagem e compostagem do material orgânico em diversas cidades brasileirasa.

Na avaliação do presidente da CDHM, “os problemas de direitos humanos nos lixões serão equacionados mediante duas soluções: a consolidação da Política Nacional de Resíduos Sólidos e a aprovação da PEC 309/2013, que inclui o catador de material reciclável como segurado especial da Previdência Social – matéria pendente de deliberação do Plenário da Câmara”.

Participaram da mesa de debates, além de Luiz Couto, integrantes de órgãos do governo federal, do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis e da Confederação Nacional dos Bispos Brasileiros (CNBB), que mantém um projeto de apoio à categoria dos trabalhadores do setor.

Fonte: Ascom do Dep. Luiz Couto

Agricultura familiar em alta, Equipamento da PMJP beneficia agricultura familiar


Por, Dani Rabelo, Vereador Fuba visita feira da Cecaf e verifica aceitação da população

Em pleno bairro do José Américo, em João Pessoa, a população pode encontrar produtos provenientes da agricultura familiar na Central de Comercialização da Agricultura Familiar (Cecaf), um equipamento construído pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP.

Em parceria com o Governo Federal. Na manhã desta quinta-feira, 28, o vereador Fuba (PT) esteve conhecendo o local, e foi recebido pelo secretário do Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Hildevânio Macedo.

“Muito importante a presença do vereador Fuba, afinal, foi dele a proposta de colocar o nome de João Pessoa Teixeira no equipamento, que nasceu com o propósito de atender produtores rurais, não apenas de João Pessoa, mas de diversas cidades da Paraíba”, destacou Hildevânio Macedo.

Para o vereador, que conversou com alguns produtores e consumidores, enfatizou que o espaço criado pela gestão municipal é de grande importância para quem produz e para quem busca alimentos de qualidade: “O espaço é bastante amplo, e a diversidade de produtos orgânicos que encontramos é impressionante”.

Aqui temos cooperativas, grupos de mulheres marisqueiras, grupos de artesãs e agricultores individuais vindos de diversas localidades, entre elas, João Pessoa, Cabedelo, Acaú, Alhandra, Conde e Itaporanga. Um “local adequado, com toda a estrutura de higiene e segurança”.

A dona de casa Ana de Lourdes já é frequentadora da feira de agricultores da Cecaf, e revelou as vantagens de adquirir os produtos naquele ambiente: “Aqui estou perto da minha casa, e posso levar para a minha família frutas e verduras que visualmente são mais saudáveis. Também não podemos esquecer o preço, pois aqui compramos diretamente do produtor”.

A Cecaf está localizada na Avenida Hilton Souto Maior, no José Américo, dividida em dois pisos com 12 boxes, quatro lanchonetes, seis banheiros, duas câmaras frigoríficas, duas recepções, um almoxarifado, uma copa, dois setores de lavagem, uma sala de estudo de mercado e um auditório com capacidade para aproximadamente 70 pessoas. A feira acontece todas as quintas-feiras, das 6h às 13h.

Fonte: Imagística Comunicação e Assessoria

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Líder do PSDB, Cássio silencia sobre suposto envolvimento de tucanos em propinas

Líder do PSDB no Senado Federal, o paraibano Cássio Cunha Lima até agora não se pronunciou, publicamente, sobre o suposto envolvimento de políticos do PSDB entre os beneficiados com as propinas investigadas pela Operação Lava Jato.

Ontem, durante depoimento, dois dos principais delatores da operação Lava Jato, o doleiro Alberto Youssef e o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, mencionaram que tucanos receberam recursos desviados de empresas estatais como a Petrobras e Furnas. Entre os beneficiados estariam o ex-presidente nacional partido Sérgio Guerra e o senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Ferrenho crítico do Governo Dilma, Cássio, que chegou a sugerir o impeachment da presidente Dilma e logo depois aconselhou a petista a renunciar, justamente pelo suposto envolvimento nos escândalos da Petrobrás, até agora não realizou uma defesa dos colegas.

O silêncio do tucano já é visto com estranheza nos bastidores do Senado. Até agora a única defesa feita pelo PSDB foi a divulgação de uma nota oficial do PSDB rebatendo as afirmações dos delatores. LEIA TAMBÉM - Delatores Youssef e Costa mencionam repasse de propina a Guerra e Aécio; Leia a seguir a íntegra da nota oficial do PSDB sobre os depoimentos dos delatores:

"Como já foi afirmado pelo advogado de Alberto Youssef e, conforme concluiu a Procuradoria Geral da República (PGR) e o Supremo Tribunal Federal (STF), as referências feitas ao senador Aécio Neves são improcedentes e carecem de quaisquer elementos que possam minimamente confirmá-las.

Não se tratam de informações prestadas, mas sim de ilações inverídicas feitas por terceiros já falecidos, a respeito do então líder do PSDB na Câmara dos Deputados, podendo, inclusive, estar atendendo a algum tipo de interesse político de quem o fez à época.

Em seu depoimento à Polícia Federal, conforme a petição da PGR, Youssef afirma que: "Nunca teve contato com Aécio Neves" (página 18) e que "questionado se fez alguma operação para o PSDB, o declarante disse que não" (página 20).

Na declaração feita hoje, diante da pressão de deputados do PT, Yousseff repetiu a afirmativa feita meses atrás: de que nunca teve qualquer contato com o senador Aécio Neves e de que não teve conhecimento pessoal de qualquer ato, tendo apenas ouvido dizer um comentário feito por um terceiro já falecido.

Dessa forma, a tentativa feita pelo deputado do PT Jorge Solla, durante audiência da CPI que investiga desvios na Petrobras, buscou apenas criar um factoide para desviar a atenção de fatos investigados pela Polícia Federal e pela Justiça e que atingem cada vez mais o governo e o PT. (Redação).

Fonte: http://www.pbagora.com.br/

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Toledo: quem defende impeachment é por motivo errado

O colunista José Roberto de Toledo ressalta que os que defendem o impeachment da presidente Dilma Rousseff o fazem por motivos errados. Ele destaca pesquisa Ibope, que perguntou os motivos: "Por qual razão algumas pessoas estão apoiando o impeachment?".

A principal causa citada pelos brasileiros em geral, e em ainda mais pelos que são a favor da retirada de Dilma do poder, é a economia: 31% mencionaram a situação econômica do Brasil, a inflação, os juros e o desemprego. “Mas não há artigo constitucional que preveja impeachment por incompetência”, diz.

“Se a população se acostumar a trocar de presidente como troca de técnico a cada trombada da economia, os próximos no poder enfrentarão uma instabilidade política que tende a perpetuar a instabilidade econômica. É ganhar o jogo e perder o campeonato”, conclui.

Fonte: Fonte: Brasil 247

RC reage às ações de Cássio no TRE e diz que tucano tem aura golpista: “Ele já apanhou e vai apanhar de novo”

O governador Ricardo Coutinho, do PSB, voltou a recriminar, nesta segunda-feira (24), a tentativa do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) de tentar ganhar a eleição no tapetão, com reiteradas ações na justiça eleitoral da Paraíba.

Ele fez questão de ressaltar que foi eleito democraticamente pelo povo, com uma maioria de 111 mil votos e que se o tucano deseja o poder, deve esperar mais quatro anos para voltar a competir.

Para Coutinho, Cássio está encoberto em uma aura golpista, que tanto tenta tomar o poder da presidente Dilma, quanto do governador da Paraíba. O governador também garantiu que o trabalho realizado pelo governo do PSB no Estado em um dia é maior do que qualquer outro ano de trabalho realizado pelo antecessor tucano.

“Minha cara eu fui eleito pelo povo, eu tive 111 mil votos de maioria e eu trabalho por essa Paraíba em um único dia muito mais do que jamais se viu de trabalho daquele que perdeu e agora quer ganhar no tapetão. Aliás, ele (Cássio) está encoberto dessa aura golpista, pois tenta derrubar a presidente eleita e tenta derrubar também o governador eleito, mas ele vai ter que esperar quatro anos e vai apanhar de novo daqui a quatro anos”, disparou.

As declarações do governador foram dadas à imprensa na manhã de hoje durante solenidade de entrega da reforma e ampliação da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Severino Dias de Oliveira (Mestre Sivuca), no bairro de Mangabeira.

À tarde, às 16h30, no Palácio da Redenção, ele assina convênio com o ministro da Secretaria de Portos da Presidência da República, Edinho Araújo, que prevê a liberação de R$ 3 milhões para a sinalização noturna do Porto de Cabedelo. Com informações de Henrique Lima (PB Agora)

Fonte: http://www.pbagora.com.br/

domingo, 23 de agosto de 2015

Cunha já trabalha para barrar sua saída e aposta no antipetismo, para , manchar o nome da Câmara dos Deputado

Comentário do blog seria uma falta de vergonha se Eduardo Cunha continuasse como presidente da Câmara dos Deputados se quer um Brasil limpo da corrupção, não é possível coar um (Mosquito e engolir u m Camelo)!

Denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro no esquema de corrupção na Petrobras, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), aposta no antipetismo, na baixa popularidade do governo Dilma Rousseff e no corporativismo dos parlamentares para manter-se no cargo e neutralizar o grupo de deputados que pretendem afastá-lo.

Na quinta-feira passada, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou ao Supremo Tribunal Federal acusação formal contra Cunha. A denúncia instaurou na Câmara um movimento pelo afastamento do peemedebista do comando da Casa.

Mas, segundo interlocutores do deputado fluminense, num cenário adverso, a estratégia de Cunha será radicalizar o discurso contra o PT e o governo Dilma para tentar sobreviver às investidas de grupos opositores.

Conta para tanto com a insatisfação da população com o governo e a avaliação de grande parte dos parlamentares de que colocar-se perante suas bases ao lado da petista não rende dividendos políticos - ainda mais com a proximidade das eleições municipais de 2016.

"Na minha base eleitoral ainda não se vê nenhum desgaste pelo fato de estar ao lado do Cunha, pelo contrário, esse posicionamento dele, de confronto ao governo, tem sido visto de forma positiva", disse um líder da Câmara sob a condição de anonimato.

Cunha mantém influência sobre uma bancada suprapartidária distribuída em partidos como PSD, PSC, PP, PR, PTB, PSDB, DEM e boa parte do PMDB da Câmara, que tem ainda como triunfo político o avanço da pauta conservadora na Câmara neste ano: a chamada bancada "BBB", alusão às iniciais de "Boi, Bala e Bíblia" - referências às bancadas ruralista, da segurança e os evangélicos.

As iniciativas em defesa de Cunha também são ancoradas no sentimento de corporativismo entre os parlamentares, outro alicerce em que o peemedebista vai se escorar para se manter no posto. Os desdobramentos das investigações da Operação da Lava Jato são considerados por vários políticos como uma "metralhadora giratória".

Inicialmente têm como alvo 35 parlamentares, entre deputados e senadores. Mas cujo número poderá crescer conforme avançam as investigações e o número de delatores. Nesse sentido, muitos parlamentares avaliam que também poderão ter o mesmo destino de Cunha e serem denunciados por Janot por envolvimento no esquema de desvio de recursos da Petrobras. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: http://zip.net/bwrR3K

sábado, 22 de agosto de 2015

Avança obra de Transposição do Rio São Francisco; projeto vitorioso “cala boca” da oposição

Os deputados petistas José Airton (CE) e Luiz Couto (PB) comemoraram nesta segunda-feira (17) o início dos testes da primeira estação de bombeamento que fará a transposição das águas do rio São Francisco.

Na semana passada as bombas da Estação 1, localizada no município de Cabroró (PE), começaram a jorrar pelos nove quilômetros de canais até a Barragem do Tucutú, o primeiro reservatório do Eixo Norte. Essa etapa da transposição vai atender o sertão de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.

“Essa é uma obra vital e crucial, e historicamente é aguardada pela população do Nordeste. É a redenção do povo do sertão, que tem grande esperança nessa obra que irá salva-los da grande estiagem que enfrentam e que ainda deve trazer impactos econômicos e sociais positivos para a região”, afirmou José Airton.

Ao também ressaltar a importância do inicio dos testes, o deputado Luiz Couto afirmou que a entrada em funcionamento de mais uma etapa da transposição representa um “cala boca” dos críticos da obra.

“A conclusão dessa obra, que beneficiará parte da Paraíba, é de suma importância principalmente por causa da redução da chuva na região. E o acesso a água para o consumo humano, animal e também para a irrigação será um cala a boca aos opositores do projeto de integração da Bacia do São Francisco”, ressaltou.

Está prevista uma viagem da presidente Dilma Rousseff à região até o fim do mês, mas ainda não há data definida.Operação- Os testes da primeira estação de Bombeamento (EB-1) do Eixo Norte responderam positivamente ao primeiro acionamento.

Vários outros serão feitos para garantir o funcionamento pleno do equipamento que serve para levar a água a níveis em que o fluxo não consegue seguir apenas com a gravidade. São nove em todo o projeto.

O trecho entra em teste dez meses após o Eixo Leste também captar a água e realizar as primeiras operações nos conjuntos de motobombas. Este trecho tem captação em Petrolândia (PE) e prevê conexões para abastecer o Sertão e o Agreste de Pernambuco e da Paraíba.

Obra- Os dois eixos do Projeto de Integração do Rio São Francisco tem 477 quilômetros de extensão, sendo 260 quilômetros no Eixo Norte e 217 quilômetros no Eixo Leste. A obra está com um total de 76,7% de execução, segundo o ministério da Integração Nacional, e previsão de chegar a 78% até o final deste mês.

Do orçamento total de R$ 8,2 bilhões, mais de R$ 6,5 bilhões já foram aplicados, sendo R$ 1 bilhão liberado somente neste ano pela pasta. A conclusão total da obra está prevista para 2017.

Fonte: Ascom do Dep. Luiz Couto, Héber Carvalho com Agências

Tudo pela a Reforma Ágraria, Assentados paraibanos ganham programa de rádio com alcance estadual

Agricultores familiares e assentados da reforma agrária paraibanos agora contam com um programa de rádio com alcance estadual, voltado para a divulgação de notícias relacionadas ao meio rural.

O programa Voz da Terra é produzido pela Central das Associações dos Assentamentos do Alto Sertão Paraibano (Caaasp), entidade contratada pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para executar serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) em benefício de mil famílias de 33 assentamentos da reforma agrária nas regiões do Médio Piranhas e Alto Sertão.

A primeira edição do programa, que tem periodicidade semanal, foi ao ar no último dia 7 pela Rádio Difusora AM, do município de Cajazeiras, no Sertão paraibano, distante cerca de 490 quilômetros da capital, João Pessoa. O programa é transmitido ao vivo, às sextas-feiras, das 17h às 18h, e é produzido pelos comunicadores sociais da Caaasp Heloísa Sousa e Wendell Oliveira.

A Caaasp foi pioneira na implantação de programa de radiodifusão para o público da reforma agrária na Paraíba com o lançamento, em 2014, do boletim de áudio Voz da Terra, um programa gravado, com duração de 10 minutos, abrangência regional e transmitido às 6h. A iniciativa serviu de base para que a produção de programas radiofônicos fosse uma exigência do contrato.

A equipe está envolvida para produzir programas que, além de informar os assentados com notícias focadas na agricultura familiar, na agroecologia e na reforma agrária, também sirvam para levantar discussões sobre temas relativos.

“À saúde, diversidade e preconceito, bem como para oferecer orientações básicas sobre as diversas áreas de atuação dos técnicos de Ater”, afirmou a coordenadora da Caaasp, Josefa Alves Vieira, mais conhecida como Dona Nelsa.

Para a veiculação do programa, a Caaasp firmou contrato com a Rádio Difusora AM, 1070 kHz, uma das pioneiras do Sertão paraibano. Fundada em 1938 como difusora e em 1964 como estação de rádio, a rádio tem um dos índices de audiência mais altos da região e alcance interestadual, com potência de 20 mil watts. Programação diversificada:

O Voz da Terra tem uma programação diversificada e está dividido em cinco blocos, com o primeiro bloco dedicado à abertura e à escalada de manchetes; o segundo com notícias sobre experiências de sucesso nos assentamentos; o terceiro bloco com notícias do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA).

 Incra e de outros órgãos que trabalham com temas relacionados à agricultura familiar e de movimentos sociais do campo. O quarto bloco é aberto à participação dos assentados da reforma agrária, através do quadro Voz do Assentado, e o quinto e último bloco é reservado para debates, palestras e entretenimento. Outros programas de rádio na PB

Além do programa Voz da Terra, da Caaasp, dois programas de rádio produzidos por outra entidade prestadora de Ater, a Cooperativa de Trabalho e Prestação de Serviços Técnicos de Reforma Agrária da Paraíba (Cooptera), levam notícias de qualidade aos agricultores familiares e aos assentados da reforma agrária paraibanos.

O programa Bom Tarde Camponês, lançado em 15 de julho de 2015, que se destina ao público do Cariri e do Curimataú, e o Bom Dia Rural, veiculado desde o final de maio deste ano, que abrange boa parte do Médio Sertão e vários municípios das regiões do Cariri, da Borborema e do Curimataú. A produção e a apresentação destes dois programas são do jornalista Marcos Lima, que é assessor de comunicação da Cooptera.

Fonte: CPT 

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Ricardo diz que Cássio precisaria de coragem para protestar contra Dilma

O governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), comentou hoje os protestos realizados no dia de ontem contra o governo da presidente Dilma Rousseff (PT).

Apesar de ser aliado da petista, Ricardo admitiu que o papel da oposição está sendo cumprido ("A oposição está aí para fazer disputa política mesmo, mas não pode parar o país e nem achar que vai ganhar no tapetão").

Já ao ser indagado sobre o que achava da ausência de Cássio Cunha Lima (PSDB) nos eventos de ontem, o socialista foi lacônico: "Seria muita coragem estar num ato daqueles", disse, numa alusão ao fato de o senador ter tido o mandato cassado quando era governador da Paraíba.

Os protestos ganharam outra avaliação do governador paraibano: "Todo ato é legítimo e faz parte do processo de democraria. O governo errou muito e meteu os pés pelas mãos.

Mas foi eleito para quatro anos e não se tem no processo jurídico a figura do impeachment por impopularidade. Vejo muita figurinha coroada falando contra a corrupção, mas tendo os pés na lama da corrupção".

As declarações foram dadas durante a inauguração da Escola Técnica de João Pessoa, em Mangabeira. O governador acrescentou que o Estado precisa de verbas federais para continuar realizando programas e obras:

“Tenho tido muita preocupação e responsabilidade nesse momento”. Sou governador de um estado que não é rico e se eu não olhar para o estado e para o país, vamos ter um quadro desalentador no presente e no futuro.

Precisamos muito de recursos do governo federal e há coisas inegociáveis: seca, saúde e educação não são negociáveis. Quero que o governo cumpra o que acertou com os governadores que foram os financiamentos para que continuemos gerando empregos e movimentando a economia.

Quando chegamos na reunião da Comissão de Financiamentos Externos (COFIEX), para aprovar isso, percebemos que o próprio governo, o ministério da Fazenda, pede vistas e tira todos os financiamentos de pauta. Isso é grave e faz parte da reclamação que já expressei com a presidente Dilma"

Fonte: http://www.parlamentopb.com.br/