sexta-feira, 8 de abril de 2016

Agricultura familiar contribuindo para promoção da saúde

Responsáveis pela produção da maioria dos alimentos consumidos pelos brasileiros, os agricultores familiares contribuem para uma alimentação com qualidade nutricional. Os orgânicos, por exemplo, têm tido grande procura pelas pessoas que se preocupam em manter uma rotina saudável.

E, exatamente, para conscientizar a população como assegurar boa qualidade de vida é que se comemora, nesta quinta-feira (7) de abril, o Dia Mundial da Saúde. O nutricionista João Paulo Romeu explica que o alimento orgânico da agricultura familiar.

Por ser livre de aditivos químicos, evita que chegue ao consumidor produtos que possam causar doenças, como alergias e cânceres. “Além disso, o sabor do alimento orgânico é muito mais preservado, suas vitaminas e minerais são encontrados em maior quantidade e os antioxidantes desse tipo de alimento são naturais”, destaca.

Gabriel Piazzi, 28 anos, é um dos que dão preferência aos produtos orgânicos. Ele procura comer em locais que tenham esse tipo de alimentos porque, além de se preocupar com a saúde, sabe que são alimentos produzidos sem agrotóxicos ou outros venenos.

 “A produção é muito mais restrita e controlada. Temos um domínio do que se come e sabemos da qualidade do produto”, afirma ao assegurar que, apesar do acesso a esses alimentos às vezes ser difícil, ele levanta cedo para ir ao Ceasa, no espaço dedicado aos produtos da agricultura familiar.

Para o nutricionista, os alimentos orgânicos oferecem muitos benefícios à saúde, mas ainda há uma carência no mercado. “Existem poucas feiras de alimentos orgânicos e onde tem acaba muito rápido, pois são produzidos pelos agricultores familiares que em sua maioria não consegue vender para as redes de supermercado”, lamenta. (Mais saúde)

E, para aproximar consumidor e produtor o Ministério do Desenvolvimento Agrário, além de promover políticas de incentivo à produção orgânica, organiza feiras – como a que terá nas Olimpíadas 2016.
Serão quatro pontos turísticos do Rio de Janeiro, com praças de comercialização dos produtos da agricultura familiar. Ao todo, 45 empreendimentos familiares participarão da campanha ‘Brasil Saudável e Sustentável’.
Fonte: Ascom/MDA

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Bispo emérito de São Félix do Araguaia defende mandato de Dilma

Em carta aberta publicada na internet, o bispo emérito da Prelazia de São Félix do Araguaia, Dom Pedro Casaldáliga, defendeu o mandato da presidenta Dilma Rousseff contra o processo de impeachment que classifica como uma “tentativa de golpe”.

“Repudiamos a tentativa de desestabilização de um governo democraticamente eleito, sob o risco de conduzir o país ao caos generalizado”, afirma.

A chamada “Carta Aberta às Comunidades Sobre a Atual Conjuntura Política do Brasil” também é assinada pelo atual bispo Adriano Vasino e pelos agentes pastorais da Prelazia de São Félix do Araguaia.

A carta denuncia ainda que a crise política tenha sido tratada de forma superficial e manipulada pela grande mídia, a serviço de grupos conservadores. Ressalta ainda que o aprofundamento da crise resultará em retrocesso dos avanços sociais obtidos nos últimos anos.

Confira a íntegra do documento; “Quero ver o direito brotar como fonte, e correr a justiça qual riacho que não seca” Am 5, 24.

Os agentes de pastoral da Prelazia de São Félix do Araguaia, reunidos, nos dias 28 de março a 02 de abril de 2016, em São Félix do Araguaia, MT, com o bispo Dom Adriano Ciocca Vasino e o bispo emérito Dom Pedro Casaldáliga, manifestam grande preocupação com o momento sociopolítico que vivenciamos atualmente.

Sabemos que uma crise econômica, que se iniciou de forma concreta em 2008, está afetando fortemente o sistema capitalista e tem provocado, por parte de grandes empresas e países ricos como os Estados Unidos, uma investida violenta em diversos países em desenvolvimento.

Tais países são vistos como fornecedores de matéria prima e mão de obra barata para alimentar o luxo e o consumo dos ricos de fora e da elite interna que tem se tornado cada vez mais rica e opulenta.

Povos e comunidades são desconsiderados e expropriados de seus direitos para abrirem espaços para as grandes empresas. No Brasil, a conjuntura atual é caracterizada por uma profunda crise política institucional, que ameaça as conquistas democráticas, rompendo com o pacto social realizado nas últimas décadas, bem como com o respeito aos valores humanos básicos.

Como Igreja, apoiamos o combate às injustiças e a corrupção e apelamos ao Ministério Público e ao Judiciário que ajam com isenção, rigor e imparcialidade no exercício de suas funções, punindo os responsáveis independentemente do partido a que pertençam.

O momento atual que a sociedade brasileira atravessa é delicado e exige acima de tudo uma reflexão aprofundada isenta de paixões e partidarismos. Apelamos para o bom senso dos integrantes do Congresso Nacional (Deputados e Senadores), afim de que saibam olhar a complexidade e delicadeza desse momento. Não podemos retroceder nas conquistas democráticas alcançadas.

Repudiamos a tentativa de desestabilização de um Governo democraticamente eleito, sob o risco de conduzir o País ao caos generalizado. Grupos conservadores, respaldados pela grande mídia, passam uma visão superficial e manipulada do grave momento que o país vive.

Acreditamos que a sociedade brasileira, civil e organizada, esteja à altura de compreender a gravidade do momento e dizer NÃO a qualquer tentativa de golpe.

O Povo já superou graves crises institucionais, saberá manter a serenidade e de forma pacífica fará valer o Direito e a Justiça. São Félix do Araguaia – MT, 02 de Abril de 2016. Do Portal Vermelho, com informações do G1

Fonte: http://www.luizcouto.com/

terça-feira, 5 de abril de 2016

Partido dos Trabalhadores prevê candidatura própria em pelo menos 40 municípios paraibanos

Publicado por: Carlos Rocha; PUBLICADO EM: 

O partido dos trabalhadores na Paraíba, sob novo diretório, vai se reunir para debater cenário nacional e definir as diretrizes para as eleições de 2016.

De acordo com a presidente do diretório estadual do partido, Giucélia Figueiredo, que foi empossada no último sábado (2), o PT prevê disputar diretamente a prefeitura de pelo menos 40 municípios paraibanos.

 
De acordo com Giucélia Figueiredo, durante o encontro, cuja data ainda não foi definida, também será elaborado um calendário de reuniões regionais com objetivo de instrumentalizar todos os diretórios do partido na Paraíba.

“A ideia é ter candidatura majoritárias e proporcionais no maior número de municípios possíveis”, destacou a presidente, acrescentando que o PT pretende estar presente de forma intensa e proativa em todo o estado.

Giucélia Figueiredo informou que o partido está organizado em mais de 150 municípios, com potencial de candidatura majoritária em 40 municípios, entre eles, em Patos, com Lenildo Morais; em Picuí com Olivânio.

Em Pombal, com o médico Paulo Fragoso; em Serra da Raiz, com Wilson Marçal; e em Sousa, o vereador Lafayette Gadelha na vaga de vice-prefeito. (Em breve o nome do pré- candidato de Aroeiras.)

Fonte: http://www.polemicaparaiba.com.br/

Marco Aurélio defende Lula e condena Moro e Temer

Para o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello, a ida do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o Ministério da Casa Civil poderia ser "a tábua de salvação" do governo Dilma Rousseff.

"Desde o início [da discussão sobre a nomeação de Lula para chefiar a Casa Civil] apontei que a integração de Lula ao ministério seria a tábua de salvação do governo. No caso ele iria para o ministério tentar resgatar o que ainda existe do Partido dos Trabalhadores", disse ele.

A posse de Lula foi suspensa por uma decisão do ministro do STF Gilmar Mendes, que atendeu pedido de liminar em ação proposta pelo PSDB e PPS.

Em entrevista ao programa "Roda Viva", da TV Cultura, ele disse ainda que a divulgação de conversas gravadas pela Polícia Federal feita pelo juiz Sérgio Moro é "condenável" e sugere uma sanção no campo administrativo.

"A divulgação é condenável a todos os títulos, já que temos uma legislação que impõe sigilo, e houve divulgação do objeto da interceptação telefônica. Agora, o conteúdo também é algo super desagradável, para dizer o mínimo", afirmou.

Ele também indicou que deve recomendar que o processo de impeachment na Câmara também inclua o vice Michel Temer, como na ação que vazou. Na última sexta-feira (1º), o STF divulgou por equívoco, uma decisão de Marco Aurélio que determina à Câmara iniciar um processo de afastamento contra Temer.

Fonte: Brasil 247

segunda-feira, 4 de abril de 2016

UMA IDEIA, FINALMENTE

UMA IDEIA, FINALMENTE

Senador Paulo Paim propõe Assembléia exclusiva para fazer reforma política, partidária e eleitoral.

"Os integrantes seriam eleitos pelo voto direto popular, admitidas candidaturas avulsas. Esses integrantes não poderiam concorrer nas próximas eleições. Quem atualmente mantém mandato parlamentar não poderia concorrer. Outro pré-requisito é ser ficha limpa”, disse Paim.
O senador Paulo Paim (PT-RS) propôs a criação de uma Assembleia Temática exclusiva para debater a reforma política, eleitoral e partidária. “Esse debate seria feito com participação dos eleitos pela sociedade, mas que não fossem parlamentares e, depois de concluído o trabalho desses constituintes.
“Nós partiríamos, então, para a devida publicação, e esse parlamentares também não poderiam concorrer”, explicou. Disse. “E, a partir dali, sem querer diminuir mandato de ninguém, mediante uma grande conciliação, nós partiríamos, quem sabe em 2018, para eleições gerais em todos os níveis”, completou.
 Segundo Paim, ele já solicitou à Consultoria do Senado um estudo de uma Proposta de Emenda à Constituição sobre o assunto. “Os integrantes seriam eleitos pelo voto direto popular, admitidas candidaturas avulsas.
Esses integrantes não poderiam concorrer nas próximas eleições. Quem atualmente mantém mandato parlamentar não poderia concorrer. Outro pré-requisito é ser ficha limpa”, detalhou. “Um Plebiscito validaria a proposta”, afirmou oparlamentar.
Fonte: http://www.brasil247.com/

56% SÃO CONTRA IMPEACHMENT E 83% NÃO QUEREM TEMER PRESIDENTE

Levantamento do instituto de pesquisa Digzoo feito entre os leitores do portal iG mostra que 56% acham que Dilma não deve deixar a Presidência da República; a pesquisa mostra que 83% dos internautas não ficariam felizes com o vice-presidente Michel Temer no comando do país.

Além disso, 81% deles não acreditam que um eventual mandato do peemedebista solucionará a atual crise política do País; 80% não acreditam que a corrupção diminuirá em um governo peemedebista

Levantamento do instituto de pesquisa Digzoo feito entre os leitores do portal iG mostra que o impeachment da presidente Dilma Rousseff não é uma medida vista de forma tão positiva pela população brasileira. De acordo com 56% dos leitores do iG que participaram do levantamento, Dilma não deve deixar a Presidência da República.
A pesquisa mostra que 83% dos internautas não ficariam felizes com o vice-presidente Michel Temer no comando do país. Além disso, 81% deles não acreditam que um eventual mandato do peemedebista solucionará a atual crise política do País.
Ao mesmo tempo, 75% dos entrevistados não confiam que Temer conseguirá fazer a economia melhorar em curto prazo na Presidência e um total de 80% não acredita que a corrupção diminuirá em um governo peemedebista.
Realizada entre 30 e 31 de março, após o desembarque do PMDB do governo e os protestos dos apoiadores de Dilma realizados em todo o Brasil, a amostra do instituto de pesquisas Digzzo em parceria com o iG contou com a participação de 3.985 internautas.

A Folha admite que o golpe é inviável

Passou da hora de a Folha e os sócios da empreitada golpista cessarem a violência política para desestabilizar o país. Respeitem a democracia!

Em editorial publicado na versão online deste sábado, 2 de março, a Folha de São Paulo admite que o golpe é inviável. Como disse o Chico Buarque na manifestação na Cinelândia no dia 31, eles não conseguirão como conseguiram em 1954 e 1964; “de novo não”.
 
O Grupo Folha “... passa a se incluir entre os que preferem a renúncia à deposição constitucional”. A Folha entende que “embora existam motivos para o impedimento, até porque a legislação estabelece farta gama de opções, nenhum deles é irrefutável [sic].

O jornal também sustenta que “pedaladas fiscais são razão questionável”, um mero pretexto golpista para interromper o mandato presidencial de uma Presidente eleita por 54.501.188 brasileiras/os para governar o país até 31 de dezembro de 2018.

O jornal admite que impeachment tenderá a deixar um rastro de ressentimento” e, é bom alertar, um cenário de instabilidade, incertezas, violência e de divisão da sociedade brasileira.

A Folha presta um serviço à democracia reconhecendo que nenhum dos motivos que Cunha, Temer, Aécio, Serra e outros sócios golpistas inventaram para tentar derrubar Dilma é irrefutável”.

A Folha é, assim, o primeiro conglomerado da mídia golpista a reconhecer o que as multidões nas ruas indicam: a execução do impeachment sem crime de responsabilidade, que é o equivalente a golpe, é uma loucura que vai incendiar o país.

O esperneio é livre. Na democracia, a Folha tem o direito [antipático e inócuo] de sugerir que a Presidente Dilma renuncie, mesmo que faça só depois de constatar que a canoa golpista do impeachment na qual compartilha o controle do leme com Cunha, Temer, Aécio, Serra, Globo, Estadão, Veja, IstoÉ, Época, Gilmar, Moro etc, joga o Brasil no abismo.

Na mesma democracia, a Folha tem a obrigação de aceitar a decisão legítima da Presidente eleita por 54.501.118 brasileiras/os de não renunciar.

A Dilma já disse que não renuncia e que, com a avalanche democrática e popular que toma o país, vai resistir para impedir um golpe que assume cada vez mais características fascistas.

Passou da hora de a Folha e os sócios da empreitada golpista cessarem a violência política para desestabilizar e incendiar o país. (Respeitem a democracia!)

Fonte: http://cartamaior.com.br/